Covid-19: tudo o que você precisa saber sobre a doença infecciosa causada pelo coronavírus
19
ago-20

Covid-19: tudo o que você precisa saber sobre a doença infecciosa causada pelo coronavírus

 

O mundo todo continua em alerta quanto às infecções do novo coronavírus. Entre mitos e verdades sobre o vírus e a doença que ele provoca (covid-19), o HNSC preparou este guia com as perguntas mais comuns sobre o assunto. Compartilhe o link em suas redes sociais e ajude a disseminar a informação.

 

O que é Covid-19?

Covid-19 é uma doença infecciosa causada pelo vírus SARS-CoV-2 - que faz parte da família dos coronavírus – e apresenta um quadro clínico variando de infecções assintomáticas e sintomas graves, podendo levar o paciente à óbito.

Os primeiros registros da covid-19 aconteceram em Wuhan, na China, e, por causa da fácil transmissão do vírus de pessoa para pessoa, rapidamente a doença se espalhou pelo mundo, atingindo fortemente países europeus, como Itália e Espanha, e depois seguindo para as Américas, fazendo milhares de vítimas nos EUA e Brasil. A Organização Mundial da Saúde estima que cerca de 80% dos pacientes diagnosticados com covid-19 podem ser assintomáticos ou apresentarem poucos sintomas.

 

Quais são os sintomas da covid-19?

Os sintomas da covid-19 podem variar de pessoa para a pessoa, podendo ser um leve resfriado ou até um quadro grave de pneumonia. Os sinais mais comuns da doença são:

  • Tosse seca
  • Febre
  • Coriza
  • Dor de garganta
  • Dificuldade para respirar
  • Perda de olfato e paladar
  • Cansaço
  • Dificuldade na fala
  • Náuseas
  • Vômitos
  • Diarreia

 

Como o vírus é transmitido?

O vírus é transmitido através de secreções da pessoa infectada, como saliva e gotículas respiratórias. Desta forma, a transmissão de pessoa para pessoa acontece por meio do aperto de mãos contaminadas, tosse, espirro ou fala. Há, também, a transmissão indireta, que ocorre por meio de superfícies ou objetos contaminados.

 

Quem faz parte do grupo de risco?

Embora a maioria dos pacientes apresente sintomas leves, há uma parcela da população suscetível à um quadro grave da covid-19. Esse grupo é composto por pessoas com mais de 60 anos de idade e pacientes que têm comorbidades, como pressão alta, doenças cardíacas, doenças pulmonares, câncer ou diabetes.

 

Diagnóstico e testes para detecção do coronavírus

O diagnóstico para a covid-19 pode ser feito através de consulta clínica ou exames laboratoriais. Atualmente existem 3 testes disponíveis para a detecção do vírus, são eles:

  • RT-PCR: teste considerado padrão ouro, que identifica o vírus no período em que está ativo no organismo. Ele é feito a partir do 3º dia após o início dos sintomas e até o 10º dia. Como existem diferentes metodologias na realização do teste, o resultado varia conforme o protocolo do laboratório.
  • Sorologia: verifica a resposta imunológica do corpo em relação ao vírus. A realização do teste é recomendada após dez dias do início dos sintomas. Fazer o exame fora do período indicado, pode ocasionar num resultado falso negativo.
  • Teste rápido: existem dois tipos de testes rápidos: antígeno (que detecta proteínas na fase de atividade da infecção) e anticorpos (que identifica uma resposta imunológica do corpo em relação ao vírus). O teste rápido é indicado para ser realizado após o oitavo dia de sintomas.

 

Formas de proteção

Como ainda não existe vacina ou remédio comprovado cientificamente que combata o vírus, a melhor forma de enfrenta-lo é a prevenção. Segundo o Ministério da Saúde, as orientações para se proteger são:

  • Lavar com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou então higienize com álcool em gel 70%
  • Cobrir nariz ou boca com lenço ou com a parte interna do cotovelo ao tossir ou espirrar
  • Não tocar olhos, nariz, boca ou máscara de proteção com as mãos não higienizadas
  • Se tocar olhos, nariz, boca ou a máscara, higienize sempre as mãos como já indicado
  • Mantenha distância mínima de um metro entre pessoas em lugares públicos e de convívio social. Evite abraços, beijos e apertos de mãos. Adote um comportamento amigável sem contato físico, mas sempre com um sorriso no rosto
  • Higienize com frequência o celular, brinquedos das crianças e outro objetos que são utilizados com frequência
  • Não compartilhe objetos de uso pessoal como talheres, toalhas, pratos e copos
  • Mantenha os ambientes limpos e bem ventilados
  • Se estiver doente, evite contato próximo com outras pessoas, principalmente idosos e doentes crônicos, busque orientação pelos canais on-line disponibilizados pelo SUS ou atendimento nos serviços de saúde e siga as recomendações do profissional de saúde

 

O que fazer se estiver com sintomas?

Se você apresentou algum dos sintomas descritos neste artigo, procure imediatamente uma unidade de saúde, seja um posto, UPA ou hospital. Há, também, a opção de fazer uma teleconsulta por meio do aplicativo “Saúde Digital – Covid-19”, do Governo de Minas, disponível para download na App Store e Google Play. E se você mora em Pará de Minas, existe a alternativa de atendimento por telefone, através do número 0800 940 9402.

Após passar pela triagem do profissional de saúde, você receberá as orientações e prescrição dos medicamentos que deverá usar. É importante seguir as recomendações médicas e manter o profissional sempre informado da evolução dos sintomas durante o tratamento.

O Ministério da Saúde orienta, ainda, que você tome cuidados em casa, utilizando máscara, higienizando as mãos e o ambiente, separando toalhas de banho, garfos, facas, colheres, copos e outros objetos apenas para seu uso e não compartilhando sofás, cadeiras e camas com outras pessoas da casa.

 

Quanto tempo o vírus fica no corpo?

Por se tratar de um vírus novo estudos estão sendo realizados para identificar o comportamento dele no organismo humano. Há casos em que o vírus permaneceu no corpo e, mesmo após o paciente recebendo alta hospitalar, teve uma “recaída”, pois aparentemente, parte do coronavírus continuou atuando.

Por causa disso, ainda não é possível determinar o tempo exato que o vírus permanece no corpo humano, até porque, vai depender da gravidade de cada caso. O que se sabe é que os sintomas podem aparecer entre 2 e 14 dias após a infecção. Alguns estudos indicam, porém, que os sintomas tendem a aparecer cerca de cinco dias depois de o paciente exposto ao vírus.

 

E nas superfícies?

Outra dúvida muito comum é quanto tempo o coronavírus sobrevive em superfícies. Assim como a questão do corpo, também não há precisão de quantos dias, horas ou minutos o vírus pode permanecer numa superfície, como maçanetas, papel, celulares, etc. Cientistas dizem que a sobrevivência do coronavírus nesses locais vai depender das condições que ele está exposto, como temperatura, umidade e o tipo de superfície.

 

Compartilhe o conhecimento

O HNSC preparou este guia sobre a covid-19 e o vírus causador, coronavírus, para que você possa conhecer mais sobre esse grave problema de saúde pública, que desencadeou uma pandemia mundial. Gostou do conteúdo? Compartilhe em suas redes sociais e proporcione que mais pessoas possam ter acesso ao conhecimento. Caso tenha mais dúvidas sobre o assunto, deixe-as nos comentários que iremos lhe responder.

 

Fontes para o guia sobre coronavírus/covid-19:

  • Compartilhar:

Comentários()

Receba nossa newslleter

E fique por dentro das notícias e novidades sobre o Hospital.